Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Brega & Chique

Este é um blogue de uma mulher portuguesa com todas as (f)utilidades inerentes a essa condição...

Eu amo saldos!

 Se ainda não se deram conta, eles estão aí: os nossos amados, queridos e muito desejados saldos. Por eles suspiramos e por eles ansiamos cada estação... No fundo, conseguir uns bons saldos equivale à sensação de encontrar um "príncipe encantado". Convenhamos... conseguir aquele par de sapatos XPTO que custava um balúrdio a um preço da chuva (e haver o nosso número...) é muito melhor que conhecer um desses "príncipes" que por aí proliferam. Pelo menos, a sensação de encantamento não desaparece logo após experimentação...

 

Contudo, nem tudo são rosas, senhoras e senhores... Não vão comprar qualquer trapinho só "porque é barato" e depois nunca mais o vestimos (até que nos deixa de servir e temos de o despachar - mais triste ainda...). Ou já fizeram uma pré-seleção do que queriam comprar (e têm a sorte de estar, de facto, em saldo e /ou ainda haver) ou se vão "às cegas", aconselho a comprar aquelas peças básicas que "dão com tudo". Mesmo nos saldos, continua a ser preciso comparar preços e a não fazer compras "impulsivas", se possível com um intervalo de tempo para pensar se aquele artigo é mesmo preciso. Caso seja preciso, goste e possa comprar não abuse da sorte e traga-o imediatamente. Se for lá no dia seguinte já só vai achar o sítio...

 

Se não gosta de confusão, como eu, está fora de questão fazer estas compras no fim de semana e aos fins de tarde. De preferência, de manhã, durante a semana, quando tudo está ainda mais ou menos arrumado, as funcionárias estão mais ou menos disponíveis, os provadores estão mais vazios e não cheiram tão mal e não é preciso atropelar ninguém para agarrar naquela camisola que vimos. Além disso, as filas para pagar também não são quilométricas.

 

Também vos recomendo a leitura deste artigo da deco.proteste para que possam reclamar, caso detetem alguma falcatrua (são mais que muitas, sempre...).

 

E lembrem-se: comprar nos saldos não é poupar... Isso faz-se não comprando... Comprar nos saldos significa apenas ser uma consumidora mais baratucha. Estabelecer um limite para estas compras evita desiquilíbrios no orçamento pessoal.

A «Queima do Gato» ou como ajudar a criar monstros numa sociedade em que já há poucos...

 Este é o vídeo que os meus olhos foram forçados a ver para poder acreditar nas linhas que o descreviam. É bom que todos o vejam. Há coisas que só se resolvem com terapia de choque...

 

Se fosse um ato individual ou de um grupo reduzido de anormais já seria muito mau. Tratando-se de uma comunidade que faz disto um comemoração, com apoio popular e trazendo alegremente os filhos e netos para participarem de tal barbaridade, o crime aumenta de proporção.

 

Aqui há tempos houve uma grande celeuma por causa de um grupo de fedelhos da Figueira da Foz que torturavam um colega... Nem quero imaginar o que estes filhos e netos que assistiram todos contentes e com aquiescência dos pais e avós a este fenómeno da maldade serão capazes de fazer... E ainda se preocupam com a violência dos videojogos e da TV?!!!! A mim parece-me muito mais traumatizante e inesquecível assistir a uma destas cenas. Vendo apenas este filme (que orgulhosamente ainda tiveram o desplante de publicar como se fosse um ato laudatório) jamais irei esquecer o sofrimento da vítima. Também jamais irei esquecer o gozo e o prazer doentio de quem assistia e os comentários que foram feitos pelos presentes.

 

Esta sociedade está a apodrecer. Estará já sem salvação se face a tudo isto não forem tomadas medidas judiciais, uma vez que já houve queixa formal. Se isto não são maus tratos a animais, não sei o que será... Mais que isso, o mal não foi feito apenas ao bicho, mas também a todas as crianças que presenciaram e foram incentivadas pelas suas famílias a praticar o mal. Em última análise, o crime atingiu a todos nós enquanto sociedade. Urge, portanto, depois do choque e da náusea, AGIR!

 

No mínimo, por favor, assinem esta petição disponível aqui. E sejam humanos...

 

 

"Cancelar, cancelar!!!!!!!!" Oh... já foi!..." Ou não!...

 Quem nunca fez esta cara logo depois de enviar uma mensagem que...

a) Não era para aquela pessoa;

b) Não era para aquela pessoa e o destinatário era o último que podia lê-la...;

c) Era para aquela pessoa, mas levava um "não" a mais ou a menos, o que faz toda a diferença...;

d) Depois de enviada a releu e viu que, com a pontuação que escreveu, queria dizer precisamente o contrário;

e) Era para aquela pessoa e o teor está correto, mas simplesmente arrependeu-se de o fazer.

 

Pois é... que atire a primeira pedra! A todos nós já nos aconteceu alguma destas situações (ou outras do género que agora não me ocorrem). Para os que o fazem via e-mail da Google, têm boas notícias: a partir de agora já podem aceder a uma ferramenta ("Anular Envio") que está disponível durante alguns segundos, que poderão ser suficientes para salvarem a vossa pele. Podem comprová-lo aqui ou no vosso correio eletrónico.

 

Claro que, modernices à parte, há sempre a opção sem necessitar carregar em nenhum botão que é "pensar duas vezes antes de fazer cagada". E está mesmo aí, ao alcance do cérebro de cada um...

Pág. 1/4

Mais sobre mim

foto do autor

Quantos somos no Facebook?

Seguir no bloglovin

Seguidores

Quantos andam aí?

Visitas

Blogs Portugal

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Noi hablamos autres lenguas

subscrever feeds

Partilhar no Facebook

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.