Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Brega & Chique

Este é um blogue de uma mulher portuguesa com todas as (f)utilidades inerentes a essa condição...

Livros: «Fúria Divina»

 Já tinha comprado este livro há uma porrada de tempo (como, aliás, um armário inteiro de livros na "lista de espera"...) e ainda não tinha tido oportunidade para o ler, mas lá consegui este verão. Já tinha lido outros livros do José Rodrigues dos Santos e tinha gostado imenso como «A Fórmula de Deus», «O Codex 632» e «O Sétimo Selo». A mim,  faz-me lembrar os livros de Dan Brown. Os temas, os enredos, o mundo a desabar e dependente do decifrar de enigmas, a ação que se desenrola ao redor do mundo, a religião que acaba por estar sempre em foco, a cultura e, claro, a escrita que lembra a jornalística porque se apoia em factos reais e documentos que não são inventados.

 

E isto não é um insulto. Nunca percebi a repugnância que existe da crítica face ao Dan Brown (entre outros). Por que é que vendas massivas é sempre sinal de más críticas literárias...? Um bom livro tem que ser sempre algo hermético, cheio de metáforas intertextuais e com linguagem inacessível ao comum mortal?... Não me parece! A mim parece-me é que estes críticos devem sofrer de legítima dor-de-cotovelo, porque, afinal de contas, um escritor escreve para ser lido, certo...? Se fosse para sua própria recreação limitava-se a um diário... daqueles fechados com cadeado só para si...

 

Passemos ao que interessa e deixemo-nos de divagações (chatíssimas) literárias...Gostei bastante do livro, embora já tenha lido melhor dele... (talvez por isso diga "gostei bastante" e não "adorei"). Tem um tema bastante atual: o do islamismo extremista. Ainda estes dias na França, como sabemos, um deles ia fazendo uma chacina num comboio... O interessante do livro é que o autor reproduz textos reais e baseia-se em factos. Portanto, serve para percebermos melhor de onde vêm estes "malucos" descontrolados. (Sê-lo-ão tanto assim...?). José Rodrigues dos Santos diz, no final do livro que não quis posicionar-se face à religião. Ora, todos sabemos que isso é impossível, certo...? As escolhas que o autor faz para constar no livro são sempre criteriosas... Mas, OK...

 

O livro relembrou-me também que a Penísula Ibérica é, de facto um território a "recuperar" do Império do Islão... e mostrou-me que, de facto, o Alcorão incita à guerra. Não me venham mais com tretas  de que só alguns muçulmanos é que têm estas ideias bélicas. Já não cola. Está lá na "Bíblia" deles. Ponto final. Tal como também está a redução da mulher a propriedade de alguém. Ponto parágrafo.

 

Já chega de paleio. Aqui fica a sinopse:

"Uma mensagem secreta da Al-Qaeda faz soar as campainhas de alarme em Washington. Seduzido por uma bela operacional da CIA, o historiador e criptanalista português Tomás Noronha é confrontado em Veneza com uma estranha cifra: 6AYHAS1HA8RU.
Ahmed é um menino egípcio a quem o mullah Saad ensina na mesquita o carácter pacífico e indulgente do islão. Mas nas aulas da madrassa aparece um novo professor com um islão diferente, agressivo e intolerante. O mullah e o novo professor digladiam-se por Ahmed e o menino irá fazer uma escolha que nos transporta ao maior pesadelo do nosso tempo.
Baseando-se em informações verídicas, José Rodrigues dos Santos confirma-se nesta obra surpreendente como o mestre dos grandes temas contemporâneos. Mais do que um empolgante romance, Fúria Divina é um impressionante guia que nos orienta pelo labirinto do mundo e nos revela os tempos em que vivemos.

Este romance foi revisto por um dos primeiros operacionais da Al-Qaeda." (em http://www.wook.pt/ficha/furia-divina/a/id/2843237). Podem comprá-lo nessa mesma ligação por 20,90€. Boas leituras!

Mais sobre mim

foto do autor

Quantos somos no Facebook?

Seguir no bloglovin

Seguidores

Quantos andam aí?

Visitas

Blogs Portugal

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Noi hablamos autres lenguas

Partilhar no Facebook

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.