Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Brega & Chique

Este é um blogue de uma mulher portuguesa com todas as (f)utilidades inerentes a essa condição...

Me gusta: "Wonder Stick" da Nyx

IMG_20151208_135831.jpgSe ainda não desistiram do tal do contorno (pelo menos em dias mais especiais) aqui fica a sugestão de um apetrecho que pode dar um jeitão e a um preço bastante acessível. Com vocês, o "Wonder Stick" da Nyx que é um pauzinho (aliás, são dois em um) que não faz milagres nem "maravilhas" não senhora, mas ajuda à festa.

 

IMG_20151208_135956.jpg

IMG_20151208_135942.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Como podem ver inclui um batom mais escuro para fazer o contorno e um claro para iluminar. Sabendo, de antemão, que nem todos os rostos são iguais e que, basicamente, com o escuro ocultamos e com o claro destacamos, aqui fica uma imagem para servir de guia (da Dica de Beauté):

 

cats.jpgO meu é no tom 01 (light/medium) mas há mais tons, como podem ver:

 

2717546.JPG

 

 A aplicação é fácil e o produto também se esbate bem. Como em tudo, recomendo o uso final de um produto em pó para selar.

 

IMG_20151208_135858.jpg

 

A caixa também traz uma pequena imagem de contorno. Podem comprar aqui na Loja da Janina (13,90€) ou então aqui na loja da Maquillalia por 11,90€ (neste momento encontra-se esgotado neste sítio) ou ainda em muitos outros (basta pesquisarem). Lembram-se de eu ter falado aqui de um produto deste género da Kiko? Este é muito melhor e o preço é quase o mesmo.

 

IMG_20151208_135914.jpg

 Por último, a habitual lista de ingredientes, não vão ser alérgicas a algum.

L'Oreal «Steampod»: placa de cabelo

 Já que o Natal está próximo, trago-vos hoje uma ótima sugestão de prenda para oferecer a alguém especial que pode muito bem ser você mesma... É a placa alisadora (e modeladora também) de cabelo, a vapor, da L'Oreal: a «Steampod»!

 

Já a comprei há uns bons mesitos, portanto está mais que testada, e aqui fica o meu ponto de vista sobre ela. Em primeiro lugar, falemos das coisas positivas. A qualidade: ótima. Daquilo que pude constatar, o cabelo mantém-se mesmo mais saudável utilizando este sistema a vapor e isso, para mim, é o aspeto melhor deste aparelho. Afinal de contas, de que vale tentar ter o cabelo bonito, se a médio e a longo prazo estamos a estragá-lo e a condená-lo ao corte radical...? Se conjugarem a utilização da «Steampod» com produtos com queratina, estarão também a tratar o cabelo. Também é mais rápido que os sistemas anteriores, porque, na generalidade, à primeira passagem o cabelo já alisa, sem ser necessário passar a segunda (e isto apenas na temperatura média). Para além de alisarem o cabelo também podem ondulá-lo ou fazer caracóis, o que é bastante útil para quem gosta de variar o visual. A máquina também aquece rápido (1 minuto, mais ou menos) e apresenta diferentes temperaturas de utilização, de acordo com os tipos de cabelo.

 

 Agora, que conhecem os argumentos "a favor", vamos aos "contras, começando pelo preço da "coisa": eu comprei a minha aqui, depois de muita pesquisa feita, com um valor promocional e ainda um desconto sobre esse valor. Foi uma autêntica "pechincha" nessa altura. Como podem ver, o modelo mais convencional é o mais barato por 139,45€. Se por acaso comprarem neste site (ou no original inglês - às vezes, os preços variam) saibam que a ficha vem no modelo inglês, mas que facilmente compram uma ficha adaptadora em qualquer "Chinês" (como eu fiz) e o problema está resolvido. Portanto, o preço é "salgadinho" ou não, tendo em conta que não vos destrói o cabelo. O volume do aparelho também é outro aspeto negativo, pois torna-se difícil transportá-la e para encaracolar o cabelo também dificulta. O cabo da prancha também deveria ter mobilidade pois dificulta ainda mais quando não é para alisar. E pronto, são os aspetos negativos.

 

 O meu modelo é esse da imagem de cima, uma edição limitada relacionada com "As sombras de Grey". Quanto ao funcionamento: prende-se a "caldeira"  (o depósito da água) numa superfície plana com as ventosas que traz (a água deve ser destilada para prolongar a esperança de vida da nossa amiga); liga-se, escolhe-se a tempertatura e seguram-se as pinças (com as setas para baixo) até começar a sair o vapor; saíndo o primeiro vapor, está pronta a utilizar.

 

 Outra coisa: aquele pente que se vê na pinça é retirado quando o objetivo não é alisar. Tira-se e põe-se com facilidade.

 

Se se estão a perguntar se vale a pena, a resposta é automática: o facto de ser mais rápida e sobretudo de não estragar (tanto) o cabelo compensa os contras. Afinal de contas, o dinheiro que vão gastar no cabeleireiro e/ ou produtos de tratamento merece o investimento.

Aqui ficam alguns vídeos ilustrativos:

 

 

Jogo português de PC: «Crime no hotel Lisboa» ou o Zé, Jo-sé

 Não sei se vocês já conhecem este jogo. Eu nunca tinha ouvido falar, mas o facto é que se produzem jogos de PC em Portugal. Muito bem, então. Lá fui eu à cata de informações sobre uma raridade destas, armada em detetive, para estar de acordo com o espítito de mistério e aventura que sugere o dito cujo.

 

 

 Como portuga que é, o inspetor não poderia ter um nome diferente: Zé (what else...?) e vem acompanhado pelo Robô Palhaço. Parece-me bem... afinal de contas, o que não falta por aí são palhaços a acompanhar-nos... Veja-se os nossos governantes, por exemplo, e encontrar-se-á um bom acervo...

 

A linguagem também me parece adequada... o "ou quê" definitivamente já entrou no léxico nacional como alternativa ao que seria o lógico, portanto...

 

Cheira-me que o Herman ou o Ricardo Araújo Pereira devem ter dado uma ajudinha no que concerne ao vocabulário... pelo menos, eles dizem que é uma "aventura do catano"...

 

 E atenção que o jogo já é vendido no estrangeiro. Ora, tal facto é garantia de sucesso...

 

"Tangas" à parte, o jogo é da responsabilidade dos «Nerd Monkeys» (mais um nome sugestivo...) e aqui têm todas as informações, como imagens, vídeos, personagens, resumo da história e outros pormenores sobre o jogo, "trailer" e ainda podem usufruir de um episódio gratuito,  à laia de demonstração.

 

Povo siderado pelas jogatanas em pixels: se até os "estranjas" já se rendem a nós, ao menos, dêem a ganhar dinheiro ao vosso país e joguem com o Zé, Jo-sé, em vez de com o Bond, James Bond.

Pág. 3/3