Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Brega & Chique

Este é um blogue de uma mulher portuguesa com todas as (f)utilidades inerentes a essa condição...

Obras em casa: «o drama, a tragédia, o horror»

 
 
 Nunca a expressão do Artur Albarran fez tanto sentido para mim... 
As obras acabam por ser necessárias em qualquer habitação. Começam a surgir problemas que têm que ser resolvidos para não piorarem e aproveita-se para renovar um pouco as coisas que já estão desfasadas da nossa vida atual. As nossas necessidades do presente já não são as mesmas de há 20 anos atrás e, como tal, há que ter dinheiro, (muita) coragem, capacidade prática e mentalizar-se que durante um determinado período de tempo viverá num qualquer acampamento pós-apocalítico, que é onde me insiro no momento.
 
"O drama": começa logo com uma enorme diferença entre quem se muda durante as obras e quem fica. Quem se muda tem um drama-parcial e quem fica tem uma verdadeira-tragédia-grega. Depois, ainda há a diferença entre quem vive numa casa, que tem mais por onde espalhar as coisas e quem vive num apartamento que, em último recurso ainda pode por coisas nas varandas e no patamar das escadas (arriscando-se, neste caso, a que alguém resolva "limpar" os seus haveres).
 
Claro que aqui a "Je" pertence às piores categorias dos dois, pois vive num apartamento e optou por não ir para um hotel, não fosse ter que fazer de pedreira para depois pagar as contas.
 
Para começar, há que fazer a planificação do que se quer fazer, conjugando as nossas necessidades com design e com a nossa conta bancária.Só aí já irão perder montes de tempo e mudar de planos, pelo menos, umas dezenas de vezes, especialmente por causa de palpites alheios.
 
Depois de se ter uma ideia clara, é necessário pedir orçamentos e programar e conciliar os diferentes serviços. Por exemplo, o carpinteiro não poderá fazer o seu trabalho sem os pedreiro acabar o seu. Outro aspeto muito importante: esta gente NUNCA cumpre espaços temporais, portanto, o melhor é "aceitar que doi menos" para se enervar o menos possível (diz alguém que já se tinha passado duas vezes ainda sem as obras começarem...). Portanto, a mentalização de que nada será feito no prazo estipulado e a conscialização de que a sua casa será uma zona de guerra por um tempo mais do que o planeado e sem fim aparente são os primeiros passos para uma remodulação de sucesso.
 
A tragédia: Inicialmente, terá de remover as coisas do sítio e, claro, transferi-las para outro. Devo dizer que as casas-de-banho são (ainda) os dois únicos sítios que não contêm itens que não lhes pertencem e este milagre ocorre simplesmente porque... não havia mesmo espaço nenhum utilizável! De resto, é tralha por todo o lado nos sítios mais inusitados. Nesta fase, a pessoa costuma ser surpreendia pela quantidade inacreditável de quinquilharia que nem sonhava que tinha!
 
A seguir, começam as obras propriamente ditas: pó por todo o lado, barulhos ensurdecedores e falta de privacidade. Por outro lado, é necessário estar atento ao desenrolar dos acontecimentos para que tudo fique do jeito que queríamos.
 
Acresce que aparecem sempre situações que não estavam previstas e outras que não estavam contempladas no orçamento inicial.
 
Para pessoas com fraco poder de abstração, como eu, custa muito visualizar o resultado final e torna-se difícil optar por esta ou aquela solução. Na dúvida, eu sempre deixo que os profissionais decidam, afinal, eles é que são da área.
 
O horror: Por fim, há que limpar a esterqueira toda e reorganizar tudo o que anda espalhado pela casa. Eu ainda não estou nessa fase, mas suspeito que vá dar imenso trabalho e custe imenso tempo. Vou ver se consigo livrar-me de alguma tralhice quando lá chegar, o que me custará imenso, porque, de cada vez que faço isso, passado uns tempos, acabo por precisar de algo que já mandei fora...
 
Como vêem, "o drama, a tragédia, o horror"... há que ter muita paciência e não perder o foco no objetivo: melhorar as nossas condições.

 

Tangle Teezer Compact Styler - a escova que não danifica o cabelo

IMG_20180820_1050401.jpg

 

 Já muito tinha ouvido sobre as escovas Tangle Teezer. Na verdade, acabei por comprar esta com o intuito de ser uma escova "secundária", porque é jeitosa para andar na carteira e porque apanhei uma promoção qualquer na Sephora. Surpresa, surpresa, acabou por ganhar o "papel principal" por mérito próprio.

 

Esteticamente é bastante atraente e adapta-se perfeitamente à nossa mão (as originais são maiores). Existem montes de padrões diferentes. Aqui podem encontrar desde 7,60€ até 12,20€, mas é só um exemplo de diferença de preços e padrões a que podem ter acesso numa pesquisa na Internet.

 

 

 

IMG_20180820_1051032.jpg

 

Como estão a ver, a forma como foi desenhada torna-a não só bastante prática, como ajuda na proteção das cerdas. Estas permitem desembaraçar o cabelo sem puxões. A escova pode ser usada com o cabelo seco ou molhado, pois os seus dentes são flexíveis, o que evita estragar ou partir os fios do cabelo. Aconselho especialmente a quem o cabelo danificado ou sensível por aplicação de tinta, madeixas, descoloração e, segundo a marca, funciona até com perucas e extensões. Comigo, funciona na perfeição.

Livros: «Chá e corações partidos» de Trisha Ashley

IMG_20180807_15375.jpg

 Aqui está uma possibilidade de leitura para este verão. Este livro leva-nos numa viagem de descoberta da sua personagem principal, fazendo-nos pensar na nossa própria trajetória de vida. Ainda não tinha lido nada desta autora e foi uma boa surpresa. Mas não recomendo lê-lo com fome, uma vez que encontramos recorrentes referências a iguarias que nos deixam de água na boca... Aliás, no final do livro têm mesmo acesso às receitas para confecionar algumas delas...Nham, nham...

 

Apesar de também apelar ao romance, a história (re)lembra aos leitores que é preciso ter preserverança e lutar, por mais que as circunstâncias da vida nos ponham para baixo.

Aqui ficam com o resumo. Podem adqui-lo, por exemplo, aqui por 16,90€. (Se comprarem por esta altura ainda têm 10% de desconto em cartão e portes grátis).

 

Boas leituras!

 

IMG_20180807_15380.jpg

 

Mais sobre mim

foto do autor

Quantos somos no Facebook?

Seguir no bloglovin

Seguidores

Quantos andam aí?

Visitas

Blogs Portugal

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Noi hablamos autres lenguas

subscrever feeds

Partilhar no Facebook

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.