Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Brega & Chique

Este é um blogue de uma mulher portuguesa com todas as (f)utilidades inerentes a essa condição...

A síndrome "dependo-tanto-da-vida-virtual-que-nem-vivo-a-real"

 Confesso que já não saio muito à noite. Na realidade, quase nada, se me lembrar dos meus tempos áureos de há uns anos atrás... A idade vai crescendo, a paciência encurtando e a qualidade da música e do ambiente tem vindo a decair também... No entanto, continuo a frequentar cafés e bares e discotecas muito raramente. Mas com esta moda do revival da música dos anos 70, 80 e 90, lá me aventuro a dançar, de vez em quando, pela madrugada adentro e a enfrentar os olhares reprovadores dos meus vizinhos, de manhã, no elevador, quando chego...

 

Que as gerações mais novas que a minha passem a vida agarradas ao telemóvel a postar sobre até o pentelho que arrancaram ou a verem que unha encravou em fulano, é algo que continuo a não entender, mas a que já me resignei; agora, que gerações mais velhas que a minha tenham tido a vontade suficiente para deixar o conforto do lar, aperaltar-se e esforçar-se por não adormecer, para depois chegar à discoteca e estar encurvado,como os netos, a adorar um ecrã de telemóvel, isso é que não consigo encaixar! Então, não faziam o mesmo no conforto do sofá, ao quentinho...?

 

É que nem para o engate!!! Se calhar até estão ali em conversas virtuais de chacha com alguém que nunca viram sequer, em vez de se divertirem e conviverem com pessoas reais. Definitivamente, esta é a doença do século. A dependo-tanto-da-vida-virtual-que-nem-vivo-a-real! E cuidado! Muito cuidado que, pelos vistos, pega-se! Já não são só as novas gerações que apresentam esta síndrome...

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.