Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Brega & Chique

Este é um blogue de uma mulher portuguesa com todas as (f)utilidades inerentes a essa condição...

As letras "sui generis" dos GNR

 Os GNR, o nosso adorado e resistente grupo nortenho (com já 30 anos de carreira), lançaram um novo álbum; desta feita, intitularam-no de «Caixa Negra». Se ainda não conhecem, podem ouvir aqui a música que lhe dá nome:

 

 Já ouviram? É que para perceberem bem o que quero dizer no post convém ouvir com atenção, pelo menos, uma das músicas deles. Pode ser esta ou outra qualquer...

 

Já está? E então o que é que acharam?...

 

Hum... É que tirando raras, raríssimas exceções, a minha relação com as canções deles é a seguinte:

Primeiro, ao ouvir pela primeira vez, a pessoa gosta bastante do tema musical (entenda-se a parte instrumental, ritmo, melodia, etc.) e ouve aqui e ali parte da letra e fica a pensar qualquer coisa tipo "grande som", a música está muito gira.

 

No entanto, quando se vai ouvir REALMENTE a letra da música de fio a pavio, entende-se na generalidade o teor da mensagem, mas fica-se com a sensação que aquilo não faz muito sentido.

 

O passo seguinte, é procurar metáforas e outro tipo de recursos estilísticos e tentar decifrar significados ocultos...

 

Depois de bater mal com este processo, chega-se, enfim, à conclusão que aquilo não tem, de facto, muito sentido e parece que no meio do processo de composição da letra foram aleatoriamente ao dicionário buscar as palavras que lhes soassem melhor (e que tivessem alguma rima) nem que, no final, a "coisa" não tenha sentido algum.

 

Discordam?... Ouçam então, por exemplo, "Efectivamente" (ainda tinha "c" nessa altura), "Ana Lee", "Morte ao Sol" (ou quase todas...) e digam lá se nao é a sensação que têm... Até esta nova da "Caixa Negra". Deixam de ser, portanto, excelentes músicas e letras? I don't think so...

 

O que é que prova tudo isto...? Que a música e a poesia não têm de fazer sentido completo, não têm de ser todas "explicadinhas". Ficam alí, sujeitas às interpretações de cada um. E porquê? Ora, meus amigos... Porque a Arte imita a Vida....

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Quantos somos no Facebook?

Seguir no bloglovin

Seguidores

Quantos andam aí?

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Noi hablamos autres lenguas

Partilhar no Facebook

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.