Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Brega & Chique

Este é um blogue de uma mulher portuguesa com todas as (f)utilidades inerentes a essa condição...

Jogos: The Sims

 Hoje venho pôr a mão no peito e recitar "mea culpa". Sim... já não bastava ser viciada em tudo o que é batom, sombra, rímel, blush, pincel, bronzer, iluminador, gloss (ou seja, maquilhagem); em creme de dia, de noite, tónico, reafirmante, creme de olho, creme anticelulite, etc e tal (cosmética, em geral), malas, sapatos, vestidos, brincos, acessórios em geral e outros do género (coisas de gaja) ainda confesso que tenho (mais tinha que tenho) o vício deste jogo.

 

 

Tudo começou por causa de uma prima minha era viciada neste jogo. A mim, parecia-me uma estupidez total perder horas naquilo. Ela dizia-me que era "muita giro", que eram "pessoas que nós controlávamos" e era uma simulação da vida real. Respondia-lhe eu, que para vida real já bastava a minha, e que essas coisas todas já as tinha que fazer eu. Qual era a piada?...

 

 

Não sei se ela instalou o jogo numa das suas vindas a minha casa ou se fui eu que acabei por instalá-lo depois de ela me picar tanto a cabeça, o que é certo é que desde o Sims 1 nunca mais parei de jogar o desgraçado do jogo. Tenho os Sims 1, 2, 3 e 4, embora não tenha todas as expansões (mas tenho bastantes...). A "coisa" chegou a ser tão viciante que até passei um dia inteiro a jogar e mudei de PC porque o PC antigo não "aguentava" a nova versão. Ora aí está... "Mea culpa".

 

 

The Sims é um dos jogos mais jogados no mundo e até gente famosa como a Katty Perry se associaram a este jogo. Trata-se de uma simulação da vida real, em que podemos começar por criar os próprios personagens. Com a evolução do jogo, conseguimos, cada vez mais, seleccionar o exato aspeto físico que queremos, mas também a sua personalidade, gostos, expetativas, etc, etc. O mesmo com as casas e até os bairros e zonas comerciais (e também de férias e de estudos) em que habitam.

 

 

A forma como os "educamos" também vai condicionar o seu futuro e a sua personalidade. Há um monte de carreiras para escolher e em que é preciso trabalhar competências para poder ir subindo. Podemos ter Sims a morar num pardieiro e outros em mansões, com altos carros. Há de tudo. Também se pode jogar com Sims e casas já criadas.

 

 

As relações entre eles também não são simples (à semelhança das reais). Nem todos os Sims se entendem (depende dos traços e dos gostos de cada um). Os bebés que nascem das relações deles trazem já alguns traços de personalidade dos seus prgenitores, embora a "educação" também seja importante para o seu desenvolvimento. Por exemplo, um Sim que é ignorado pelos pais, tende a ser revoltado.

 

 

Eu poderia estar aqui a escrever 50 páginas sobre este jogo... é um jogo que nunca tem fim, porque sempre se vai renovando. Vou deixar aqui alguns vídeos para os curiosos. Só tenho pena de não ter mais tempo para jogar... :) Quem mais se viciou neste jogo? Ou em outros?...