Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Brega & Chique

Este é um blogue de uma mulher portuguesa com todas as (f)utilidades inerentes a essa condição...

Domingos de manhã, ginásio e... putos?!

 

Domingo de manhã... Aproveitando o facto de ter acordado cedo, lá vou eu um bocado contrariada, mas no espírito de oquetemdesertemmuitaforça pagar os meus pecados para o ginásio. Uns, vão ao domingo de manhã para a missa expiar os pecados da alma; eu, quando consigo, vou domingar ao ginásio pagar os pecados da carne, salvo seja, da gula. Vou de trombas (vou sempre...) e a maldizer a minha vida, mas graças às missas, às saídas da noite de sábado à noite (que não permitem a muitos sequer pôr o pezinho fora da cama), aos "passeios dos tristes" de domingo ou às comezainas familiares domingueiras que é preciso preparar desde cedo, costuma ser um espaço de paz e sossego, que eu gosto pouco de apertos nestes sítios... Ou por outra... costumAVA ser!...

 

 Ultimamente, cada vez mais, tenho apreciado um novo fenómeno social... Domingo de manhã, cheio de sol... O ginásio, contrariamente ao expetável não está às moscas, mas sim, com pais e... putos?! Putos mesmo pequeninos, de cerca de dois anos até aos oito, nove... Correm por entre as máquinas mexendo em tudo (sujeitos a levar com algum peso em cima ou a estragar alguma coisa) perante os ocasionais berros desalmados dos seus paizinhos que nem se dignam a levantar o cu do banco para ir tomar conta deles... WTF?!

 

Respiro várias vezes, enquanto me desvio para não chocar com um dos putos em plena correria. Entretanto, para me abstrair de tal cenário onde predominam os guinchos, reflito sobre o que estou a observar... Hummmm...

 

Pais de sexo masculino, sem alianças no dedo... Hum... cheira-me a divorciado recente a quem calhou a vez de ficar com o garoto ao fim de semana, daí ter-se levantado cedo e estar com o puto, caso contrário deixá-lo-ia em casa com a respetiva progenitora. E o que é que faz o pai macho...? Em vez de aproveitar o tempo com o filho e até as condições metereológicas e levá-lo e fazer quiçá exercício noutros sítios (jogar à bola, correr na praia, sei lá, tanta coisa...) não... Toca a encerrar o fedelho num espaço fechado, perigoso e desadequado à idade dele, sem se dignar a tomar conta dele, sequer.

 

Os putos vão-se distraindo, fazendo dores de cabeça aos demais usuários do espaço (de caminho habilitando-se a lesionarem-se a sério) e os paizinhos entretêm-se a descascar as ocupantes femininas com os olhos, em lugar de tomar conta das suas crias...

 

Oremos!...

 

A «Queima do Gato» ou como ajudar a criar monstros numa sociedade em que já há poucos...

 Este é o vídeo que os meus olhos foram forçados a ver para poder acreditar nas linhas que o descreviam. É bom que todos o vejam. Há coisas que só se resolvem com terapia de choque...

 

Se fosse um ato individual ou de um grupo reduzido de anormais já seria muito mau. Tratando-se de uma comunidade que faz disto um comemoração, com apoio popular e trazendo alegremente os filhos e netos para participarem de tal barbaridade, o crime aumenta de proporção.

 

Aqui há tempos houve uma grande celeuma por causa de um grupo de fedelhos da Figueira da Foz que torturavam um colega... Nem quero imaginar o que estes filhos e netos que assistiram todos contentes e com aquiescência dos pais e avós a este fenómeno da maldade serão capazes de fazer... E ainda se preocupam com a violência dos videojogos e da TV?!!!! A mim parece-me muito mais traumatizante e inesquecível assistir a uma destas cenas. Vendo apenas este filme (que orgulhosamente ainda tiveram o desplante de publicar como se fosse um ato laudatório) jamais irei esquecer o sofrimento da vítima. Também jamais irei esquecer o gozo e o prazer doentio de quem assistia e os comentários que foram feitos pelos presentes.

 

Esta sociedade está a apodrecer. Estará já sem salvação se face a tudo isto não forem tomadas medidas judiciais, uma vez que já houve queixa formal. Se isto não são maus tratos a animais, não sei o que será... Mais que isso, o mal não foi feito apenas ao bicho, mas também a todas as crianças que presenciaram e foram incentivadas pelas suas famílias a praticar o mal. Em última análise, o crime atingiu a todos nós enquanto sociedade. Urge, portanto, depois do choque e da náusea, AGIR!

 

No mínimo, por favor, assinem esta petição disponível aqui. E sejam humanos...

 

 

Fenómenos em crescimento: o doente mental e o homem grávido

 Ora, então, boa tarde (embora seja uma tarde fria como o caraças...)! Cá venho eu falar-vos não de um, mas de dois fenómenos em crescimento. Na verdade, estes "fenómenos" estão relacionados direta e indiretamente com outros dois de maior escala. Passo a explicar...

 

Ontem, fim de tarde (não tão fria como a de hoje, mas já nada agradável) dirijo-me a um hipermercado para comprar uma mercadoria bem pesada, daquelas que uma pessoa normal tem dificuldade em empurrar o carrinho (eu, então... é aos "ss" pela estrada).

 

Como é óbvio, importava arranjar um estacionamento o mais próximo da entrada em prol da minha coluna e da segurança dos demais...

 

Toda contente, avisto dois lugares mais próximos, mas... era o lugar reservado aos deficientes e às grávidas. "Que pena" (pensei eu) e fui estacionar o carro mais longe.

 

Ainda não tinha acabado de estacionar, já estava um "deficiente mental" a estacionar no sítio dos deficientes. Ao longe parecia-me uma pessoa perfeitamente saudável, mas dei-lhe o benefício da dúvida e dei-me ao trabalho de verificar no veículo se tinha o dístico. Nada de nada... portanto, só podia ser deficiente mental ainda não diagnosticado...

 

Fiquei logo furiosa, mas o cromo já tinha entrado e desaparecido e limitei-me a remorder entre dentes (porque não tinha ali à mão papel e caneta - o resultado teria sido outro...).

 

Quando saí da superfície comercial, com o carrinho atestado e aos solavancos até chegar ao destino, vejo chegar um fenómeno ainda maior: o homem grávido!!!!

 

 Houve um momento em que me enchi de esperança: "querem ver que os gajos já podem tirar o sofrimento às gajas...?" Mas, logo concluí que, se aquela criatura estivesse grávida era de cerveja, portanto, não querendo largar o meu carrinho, desanquei-o a plenos pulmões o quanto pude.

 

Que grande lata!!!!!! Mas dizia eu que estes fenómenos se inscreviam em outros maiores...

 

O primeiro é a falta de educação que por aí grassa! E atarraxado a ela a falta de valores éticos e morais.

 

o segundo fenómeno maior e também preocupante é a indiferença dos demais ao verem estas e outras (piores) atitudes. O povo vê estas coisas e não reage e não diz nada. É como se estivesse tudo bem e, portanto, estas atitudes vão alastrar-se.

 

Vim-me embora danada e a única coisa que me arrependo foi de não ter feito ainda mais barulho. Mas, pronto, ao menos disse algo e chamei a atenção para o problema.

 

Agora, é a vossa vez...

Mais sobre mim

foto do autor

Quantos somos no Facebook?

Seguir no bloglovin

Seguidores

Quantos andam aí?

Visitas

Blogs Portugal

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Noi hablamos autres lenguas

Partilhar no Facebook

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.